sexta-feira, 25 de setembro de 2015

TOP MAIS QUE ESPECIAL: CARLOS RUIZ ZAFÓN

Por Ingrid Cristina

Olá queridos passageiros, é uma honra estar com vocês novamente!
Ocupem seus assentos que a viagem vai começar!


Hoje escrevo essa matéria com o coração cheio de amor (owwnn ), porque além de estar falando sobre o meu autor favorito, hoje
é aniversário dele (Paaaalmas pro Zafón). É isso mesmo, o lindo e talentoso espanhol Carlos Ruiz Zafón completa hoje 51 aninhos de pura sabedoria.

Olha como ele é fofo e simpático *--*

#História: Nascido no dia 25 de setembro de 1964, em Barcelona, mudou-se para Los Angeles em 1993, onde ganhou seu primeiro prêmio literário – Edebé – com seu romance O Príncipe da Névoa, que vendeu mais de 150 mil cópias na Espanha e obviamente foi traduzido para muitos idiomas.

Este primeiro romance foi uma porta escancarada para tantos outros sucessos na vida de Zafón. Após O Príncipe da Névoa vieram O Palácio da Meia-Noite, As Luzes de Setembro e Marina (2011), que são voltados para um público mais jovem.




Mas os holofotes se voltaram com potência máxima para Carlos Ruiz quando o mundo conheceu o brilhantismo e a genialidade de A Sombra do Vento (2001). Gente, por Zeus, que livro é esse? Não tenho palavras para expressar meu contentamento com esta estória. Minha experiência com este livro foi um tanto curiosa porque quando o comprei guardei-o na estante e lá ele ficou por um bom tempo. Num dia como outro qualquer recebi uma revelação divina de que eu deveria ler aquele livro... Cara, foi amor ao primeiro capítulo. Fiquei completamente fascinada com a história – que é muito envolvente e cheia de adrenalina – e acabei o livro na velocidade da luz. E extasiada no ponto final da história, lá encontrava eu apaixonadíssima por Carlos Ruiz Zafón (Zafón, se você estiver lendo isso, saiba que eu te amo. Sou muito sua fã! ).





 O autor ficou conhecidíssimo por causa dessa estória, levando-o a ser finalista de muitos prêmios literários. Essa obra foi premiada com as Correntes D’Escritas no ano de 2006, em Portugal. Além de ter sido traduzida para 30 idiomas e ser publicada em 45 países.

Em seguida vieram o Jogo do Anjo (2008), que vendeu mais de um milhão de exemplares na Espanha. E o último a ser escrito foi o Prisioneiro do Céu (Férmin, eu sei que você está lendo essa matéria. Só queria dizer que você é meu personagem favorito. Bj! ), que é uma continuação de A Sombra do Vento.
Esses três últimos romances de Zafón podem ser lidos sem que seja necessário seguir uma ordem e ainda assim manter total compreensão da história. Mas eu particularmente aconselho a seguir essa ordem: A Sombra do Vento → Prisioneiro do Céu → O Jogo do Anjo.
O que une essas três proezas é que elas fazem referência ao Cemitério dos Livros Esquecidos – como eu queria ir nesse lugar.
O cenário delas é o subúrbio do que sobrou de uma Barcelona pós-guerra, e o Cemitério dos Livros Esquecidos fica situado nas entranhas desta sofrida Barcelona (para mais detalhes confira as obras na íntegra).


#Atualmente: Pelo o que se sabe de Zafón, ele ainda mora em Los Angeles, onde escreve roteiros para o cinema e trabalha num novo romance – aguardo ansiosamente – além de escrever para os jornais El País e La Vanguardia.

Choro as pitangas por Zafón não ter escrito mais. Como uma pessoa com tanto talento pode ter escrito tão pouco? ~Inconformada~
Termino essa matéria desejando meus mais sinceros Parabéns ao Zafonzinho. Que ele tenha muita felicidade e muitas ideias brilhantes!

Segue abaixo o link da página oficial do autor e um link de onde encontrar seus livros a venda.

Espero que tenham gostado e até a próxima!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da matéria? Então deixe seu comentário abaixo.
Beijo!