sábado, 25 de junho de 2016

[RESENHA] PASSARINHA – KATHRYN ERSKINE

Por Ingrid Cristina

Oi pessoal! Como estão todos? Espero que estejam muito bem mesmo.
Hoje venho trazer a resenha de um livro que me tocou muito, principalmente por eu lidar com esse tipo de protagonista na minha profissão (sou fonoaudióloga).


O livro em questão é Passarinha e lê-lo foi uma experiência maravilhosa, uma vez que fui introduzida na cabeça de uma menina de 10 anos com síndrome de Asperger. Para os não entendedores do tema, vou deixar uma pequena definição da síndrome e seus sintomas mais comuns.

“A Síndrome de Asperger é um transtorno neurobiológico enquadrado dentro da categoria de transtornos globais do desenvolvimento. Ela foi considerada, por muitos anos, uma condição distinta, porém próxima e bastante relacionada ao autismo.”

Os sintomas mais comumente encontrados nos portadores dessa síndrome são: problemas com habilidades sociais, comportamentos excêntricos ou repetitivos, práticas e rituais incomuns, dificuldades de comunicação, poucos interesses, problemas de coordenação, além de serem muito habilidosos ou talentosos.


Há rumores de que Lionel Messi tem síndrome de Asperger, o que explicaria a excepcional capacidade de jogar futebol e o comportamento pouco sociável fora dos campos, mas não é nada confirmado. E Albert Einstein também está nessa lista de portadores da síndrome, mas assim como o primeiro, não se tem certeza.

Agora que todos estão familiarizados com a doença, vamos falar da nossa querida e adorável Caitlin, uma criança de 10 anos, que mora com o pai e o irmão mais velho – que sempre a ajuda a ‘captar o sentido’ de tudo que acontece à sua volta, principalmente quando ela tem ‘sensação de recreio’ no estômago e é obrigada a fazer ‘bichinho de pelúcia’. Mas depois do ‘dia em que a vida desmoronou’, Caitlin tenta encontrar um ‘desfecho’ para ajudar seu pai – que está inconsolável e choroso, a si mesma e a todos de seu bairro.

Nessa resenha, eu irei me ater apenas às características da protagonista, porque a história em si é tão linda, tão rica, tão maravilhosamente enriquecedora, que eu não me atrevo a tirar de você, caro leitor, o prazer de conhecê-la por si mesmo.

Falando um pouco mais de Caitlin: ela enxerga um mundo em preto e branco e detesta ver as cores se esbarrando. Na escola, ela tenta ao máximo se individualizar, evitando fazer contato visual com qualquer um ou como ela gosta de dizer, ‘olhar para a pessoa’. Mas está sempre a ouvir sua psicóloga dizendo que deve tentar fazer novos amigos.



À sua maneira, ela tenta se aproximar das pessoas, ser carinhosa e tenta, heroicamente, vencer as barreiras de sua doença. Principalmente agora, que ela terá que enfrentar sozinha todas as dificuldades de viver em sociedade, de ter que se relacionar com outras crianças e de ter que aceitar tudo aquilo que lhe traz tanto incômodo.

Passarinha me emocionou de todas as maneiras possíveis, a autora conseguiu traçar um perfil de uma criança com Asperger bem fiel à realidade e isso me sensibilizou demais, principalmente por já ter entrado em contato com crianças assim e saber o quão é difícil para elas lidarem com a sociedade, é quase uma tortura física e emocional.

O livro é cheio de simbologias e referências, que são muito bem explicadas na nota da tradução e que engrandecem a história ainda mais. Passarinha vai lhe agarrar pelo coração e deixar-lhe emocionado e de olhos marejados da primeira até a última página. E não estranhe se durante a leitura você sentir uma enorme vontade de entrar no livro, pegar a Caitlin e sufocá-la de amor; esse sentimento é muito comum a todos que leem a obra.

Lindo, emocionante, tocante, poético e engrandecedor, Passarinha é um livro que vai levar você a entender, da forma mais bela e delicada possível, o que se passa na cabecinha de crianças tão especiais como Caitlin. Venham conhecer como essa pequena guerreira ajudou a todos de seu bairro a encontrarem um desfecho e a boicotarem a tristeza traga por uma tragédia terrível. Sim, meninas de 10 anos com síndrome de Asperger  tem muito para nos ensinar sobre a vida.


Esse livro não merece cinco estrelas, mas uma constelação inteira. Digo que amei e que já entrou para a categoria de melhores leituras de 2016! ♥

Espero que tenham gostado da resenha e que de fato vocês possam ler esse livro. Estou aqui implorando por isso: #LEIAMPASSARINHA.

Um enorme beijo no coração de todos e até a próxima. <3   

17 comentários:

  1. Oi Ingrid, esse livro é incrível, e apesar de já ter lido faz tempo, é uma história que marca a gente de uma maneira única. Sempre recomendo muito essa leitura para todos, pois a escrita da autora é maravilhosa. Fico feliz que você também tenha curtido essa leitura. Realmente merece uma constelação inteira <3
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Essa capa sempre me fez refletir, ela fala muito sobre o livro em si. O trabalho da autora para tratar com fidelidade os personagens e suas peculiaridades foi lindo, isso mostra o empenho dela. Essa história é tocante, me fez chorar em muitos momentos, adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  3. Que resenha linda. Eu tenho muita vontade de ler esse livro e estou certa de que vou me emocionar tanto quanto você. A história é muito comovente e deve ter muita reflexão também. Gostei muito de ver como a leitura se desenvolveu para você e fiquei ainda mais curiosa com a sua resenha.

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Só de ler sua resenha me deixou com mais vontade de ler esse livro. Só leio elogios e garanto que seja maravilhoso mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Olá Ingrid,
    Tenho muita vontade de ler esse livro, mas, também, um medo danado de entrar naquela ressaca que vai demorar para eu sair. Acho a premissa desse livro fantástica e marcante. A protagonista parece ser daquele tipo de fica em nossa mente para sempre.
    Não conheço ninguém que possui essa síndrome, mas vou dar uma pesquisada antes de ler para já conhecer um pouco.
    Adorei sua resenha e, principalmente, você ter dito que a trama merece uma constelação inteira ♥
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Eu tenho grandes expectativas para esse livro, e quero poder ler essa obra divina rsrs, o mais breve possível! Eu comprei ele já está com um tempo mas eu sempre fico adiando a sua leitura. Acho que eu não posso mais fazer isso! Rsrs. Eu amo essa capa, e o que o livro vai trazer é algo bem inovador para mim, pois não li muitos livros com isso (acho que nenhum) adorei a resenha, bem explicada. Até mais vê
    Abçs

    ResponderExcluir
  7. Caindo lágrimas dos meus olhos só de lembrar desse livro lindo!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Só vejo opiniões positivas à respeito desse livro!
    Imagino que eu iria me emocionar bastante lendo ele, e é bem diferente do que estou acostumada a ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bom?

    O livro parece ser bem emocionante, mas confesso que não conhecia essa doença, e gostei bastante como ela foi retratada no livro, e, espero poder ler o livro em breve e se emocionar com a historia de "Passarinha".

    Abraços,
    http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Ingrid!
    Já muitas resenhas sobre Passarinha. Está sim na minha lista de desejados a muito tempo, mas ainda não tive oportunidade de conhecer. A história tem um teor dramatico muito comovente, e todos que leram o livro, gostaram. Caitlin deve realmente emocionar o leitor com um tema tão profundo. Quero muito ler *-* É um dos poucos livros que a Valentina publicou que eu preciso conhecer.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, ótima resenha!
    "Passarinha" é um livro que quero muito ler por já ter visto tantos comentários super positivos sobre ele. E também por ter interesse sobre livros onde a síndrome de Asperger é abordada, já li uma biografia com um narrador que tem a síndrome e achei interessantíssimo.

    ResponderExcluir
  12. Oiee ^^
    Eu sempre tive curiosidade de ler esse livro, sempre via críticas positivas em relação a ele, e a editora caprichava na divulgação. Acho que nunca li nenhuma história cujo personagem possuía a síndrome de Asperger, mas é um assunto que eu acho muuito interessante, e ver que você gostou tanto do livro me deixou ainda mais animada para lê-lo.Parece ser tão delicado e belo ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi, sempre tive vontade de ler esse livro. Deve ser mesmo lindo e emocionante. Eu amo livros narrados por crianças e amo sick-lits, Passarinha juntou os dois em um só.
    Estou super curiosa, amei sua resenha e a forma como se absteve de falar mais sobre o livro para nós mesmos nos surpreendêssemos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Que resenha maravilhosa! Adoro ler sobre personagens como a Caitlin e a síndrome de Asperger é algo que sempre me desperta curiosidade. Passarinha, depois dessa ótima resenha, está no topo dos desejados, e espero de verdade realizar a leitura e amar também. Pude perceber na segunda foto que o texto não possui vírgulas. Estou certa? Achei isso genial dado o assunto e por ser narrado em primeira pessoa.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ingrid!
    Esse livro está nos meus desejados desde o lançamento, mas ainda não li porque fiquei com medo de ser uma história dramática e eu não gosto muito de livros do gênero. Depois de ler sua resenha percebi que seria uma leitura que eu amaria, agora quero ler logo! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  16. Olá Ingrid!
    Já faz algum tempo que tenho vontade de ler esse livro, mas ainda não tive a oportunidade. Eu já sabia que a protagonista tem Síndrome de Asperger, mas essa é a primeira resenha que li desse livro. Saber que a história é emocionante e sensível e que a autora conseguiu passar bem as dificuldades que essas crianças tem, me deixou muito curiosa para a leitura. Tenho certeza que vou aprender muito com ele.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Amei ler a sua resenha e perceber que você teve a preocupação de focar mais sobre a protagonista do que propriamente a história em si. Isso foi bem delicado da sua parte, assim como, me parece ser também a história. Eu não conhecia essa síndrome e fiquei bem curiosa para saber mais sobre como ela afeta a vida da protagonista. Deve ser super tocante ver como ela se desenvolve né? Enfim, espero que um dia eu tenha a oportunidade de ler e que eu goste tanto quanto você.

    Beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir

Gostou da matéria? Então deixe seu comentário abaixo.
Beijo!