segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

[Resenha] O Presente - Cecelia Ahern

Olá leitores!
Hoje venho trazer a resenha do livro que fez parte do projeto “Leitura Coletiva - Amigas Literárias” do mês de Dezembro. Foi uma leitura temática, então temos aqui um enredo natalino. Mas antes de qualquer coisa, gostaria de desejar um feliz 2017 a todos!

Sinopse: Todos os dias, Lou Suffern luta contra o tempo. Ele tem sempre dois lugares para ir, tem sempre duas coisas a fazer. Quando dorme, sonha com os planos do dia seguinte, e, quando está em casa, com a esposa e os filhos, sua mente está, invariavelmente, em outro lugar.
Numa manhã de inverno, Lou encontra Gabe, um morador de rua, sentado no chão, sob o frio e a neve, do lado de fora do imenso edifício onde Suffern trabalha.
Os dois começam a conversar, e Lou fica muito intrigado com as informações que recebe de Gabe; informações de alguém que tem observado uniões improváveis entre os colegas de trabalho de Lou, como os encontros da moça de sapatos Loubotin com o rapaz de sapatos pretos...
Ansioso por saber de tudo e por manter o controle sobre tudo, Lou entende que seria bom ter Gabe por perto — para ajudá-lo a desmascarar associações que se formam fora de suas vistas — e lhe oferece um emprego.
Mas logo o executivo arrepende-se de ajudar Gabe: sua presença o perturba. O ex-mendigo parece estar em dois lugares ao mesmo tempo, e, além disso, Gabe lhe fala umas coisas muito incomuns, como se soubesse do que não deveria saber...
Quando começa a entender quem é realmente Gabe, e o que ele faz em sua vida, o executivo percebe que passará pela mais dura das provações.
Esta história é sobre uma pessoa que descobre quem é. Sobre uma pessoa cujo interior é revelado a todos que a estimam. E todos são revelados a ela. No momento certo.

         Nessa trama natalina, somos apresentados a Lou, um homem de negócios que vive para o seu trabalho, sendo muito eficiente no que faz, a ponto de parecer estar em dois lugares ao mesmo tempo, tudo a fim de cumprir com todos os compromissos de sua empresa.

 Além disso, Lou é casado e tem dois lindos filhos; mas infelizmente não tem tempo para sua família, o trabalho o consome muito. Ele é do tipo de pessoa que coloca seu sucesso profissional a frente de qualquer coisa, negligenciando o convívio com os filhos, com a esposa, com os pais e com os irmãos. Sempre está ausente nas reuniões familiares, alegando estar trabalhando muito. Nas horas vagas ele trai sua esposa com a secretária, repetindo o que já havia feito antes, com a babá.

         No momento em que Lou trabalha, incansavelmente, para conseguir a tão sonhada promoção, ele conhece Gabe: um mendigo que fica a pedir esmolas numa calçada perto do prédio onde trabalha. Gabe, estranhamente, se recorda de todos os pares de sapatos que vê durante o dia. Nenhum lhe passa despercebido e isso impressiona Lou. Sem contar que ele revela a Lou sobre certas reuniões que vem acontecendo e que podem estragar o sonho dele de conseguir sua promoção.


            Num ato de bondade, Lou arruma um emprego para Gabe em sua empresa e passa a conviver com o ex-morador de rua, o que ele não esperava era que Gabe fosse mudar sua vida. No dia-a-dia, Gabe mostra ser muito mais que um mendigo, mostrando-lhe que tem muito para lhe ensinar, é claro que isso quase leva Lou à loucura. Como pode um mendigo, sem experiência alguma, ser tão eficiente e tão rápido nas suas tarefas? Como um mendigo pode saber de tudo e expressar opinião sobre tudo? Esses e muitos os outros mistérios são revelados no decorrer da trama.

           Lou é um personagem detestável, é aquele tipo de pessoa que você reprova todas as atitudes dele. É revoltante ver como ele mente pra esposa, faz promessas para os filhos sem ter a intenção de cumpri-las e como faz pouco caso de seus pais e seus irmãos. Já Gabe é engraçado, carismático, enigmático e muito, muito sábio e bondoso.

           O presente vem nos ensinar o quão valioso o tempo é, como é necessário usá-lo da melhor maneira possível e com as pessoas certas, pois o tempo não se compra em supermercados ou farmácias. Quem nos dera se isso fosse possível. O livro tem uma mensagem linda e a leitura é super fluida e leve, foi uma experiência muito gostosa e prazerosa pra mim. Cecelia fez jus à sua reputação de boa escritora e me surpreendeu muito, já que esse foi o primeiro livro que li dela. Por esses fatores, decidi ignorar Lou e dar nota 5/5.

 “O tempo é mais precioso que ouro, mais precioso que diamantes, mais precioso que petróleo ou quaisquer tesouros. É o tempo, o que nunca temos em quantidade suficiente.”

Espero que vocês tenham gostado da resenha, um beijo no coração de todos e até a próxima! <3

Um comentário:

  1. Oi Ingrid!
    Primeiro que tudo... que cara insuportável é esse Lou!
    Confesso que fiquei curiosa em ler o livro só pra ver ser o Gabe conseguiu colocar juízo na cabeça dele kkkk
    Amei o quote que você escolheu, super profundo e verdadeiro... Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da matéria? Então deixe seu comentário abaixo.
Beijo!