quinta-feira, 1 de junho de 2017

[Resenha] O irmão alemão - Chico Buarque


Olá pessoal!
Como vão todos? Espero que estejam ótimos!

Hoje venho trazer a resenha de um livro nacional incrível e que me surpreendeu muito. Tenho certeza que muitos de vocês já ouviram, pelo menos uma vez na vida, alguma música de Chico Buraque. Mas quantos já leram algum livro dele? Ouso dizer que há uma parcela da sociedade que nem sabe que ele escreve, o que é muito gozado, já que no exterior as pessoas o conhecem exatamente por isso e se espantam quando ele diz saber cantar. E como canta, não é?


Em O irmão alemão, vamos conhecer um pedaço da vida de Chico e de seu pai, Sérgio Buarque de Holanda, que é desconhecido pela maioria. E com isso eu quero dizer que Chico Buarque, de fato, tinha um irmão alemão. Contudo, preciso dizer que, embora o livro contenha dados biográficos (como o nome do pai, por exemplo), essa obra é, quase em sua totalidade, uma auto-ficção; um gênero literário que mescla o real com o irreal, o verdadeiro com o ilusório. Aqui encontramos também um teor testemunhal, já que o autor relata alguns períodos históricos importantíssimos, como a Ditadura Militar, no Brasil e a Segunda Guerra Mundial, na Alemanha.

Francisco Hollander, ou simplesmente Ciccio, é o filho mais novo de Assunta e Sérgio de Hollander e cresceu cercado por centenas e mais centenas de livros, já que seu pai é dono de uma respeitável biblioteca particular, que abraça uma quantidade de 20 mil livros (um dos maiores acervos literários particular de São Paulo). Todos os cômodos de sua casa têm suas paredes crivadas de livros.

Num determinado dia, Ciccio está remexendo na biblioteca de seu pai e acaba encontrando uma carta, redigida em alemão, tendo como remetente Anne Ernest, que afirma ser mãe de um filho de Sérgio. É claro que a descoberta deixa nosso protagonista intrigado e curioso, levando-o a embarcar numa investigação - sempre as escondidas, com buscas secretas - para descobrir mais sobre esse tal irmão. Neste ponto, alguns trechos do livro, embora bastante convincentes, parecem muito fantasiosos e usando dessa artimanha, o autor nos leva a ver a ficção e a realidade andando de mãos dadas para contar essa história capaz de cativar qualquer leitor.

Algo muito interessante de se perceber nesse livro é a forma como o autor aborda a ditadura militar, quando Ciccio se encontrava no Brasil. Embora tenha sido esse um período marcante na história do nosso país, ele é abordado com pouca relevância, não é descrito com profundidade de detalhes, o que corrobora para provar como a censura era fortemente presente nesse período, onde não se podia pisar um centímetro fora do que era imposto - a menos se quisesse ser preso.

Com uma escrita completamente agradável e cativante, Chico Buraque aborda com delicadeza esse fato da vida de seu pai, sem julgá-lo em momento algum. Apenas conta sua história ao mesmo tempo em que nos proporciona uma leitura dinâmica e rápida, onde ora se apresenta crítico e sagaz e ora maroto e irônico.

E apenas a nível de curiosidade, Chico Buarque descobre sobre seu irmão (na vida real) numa conversa informal com Manuel Bandeira. E usando uma frase que ouvi no clube de leitura em que esse livro foi discutido, Sérgio Buarque de Holanda nos deixou grandes obras, já que foi um historiador importantíssimo, mas a maior delas é seu filho, Chico Buarque.

Isso é tudo pessoal! Espero que vocês tenham gostado da resenha e que tenham se interessado pela leitura. Eu juro solenemente que será um momento muito bom caso resolvam ler.

Um beijo no coração de todos e até a próxima! <3

Nota no Skoob: 4/5

*Livro lido e discutido no grupo de leitura do pré-Enem Atitude.

Outras informações:
Ano: 2014
Páginas: 240
Idioma: português
Editora: Companhia das Letras

Sinopse: A narrativa se estrutura numa constante tensão entre o que de fato aconteceu, o que poderia ter sido e a mais pura imaginação. Na São Paulo dos anos 1960, o adolescente Francisco de Hollander, ou Ciccio, encontra uma carta em alemão dentro de um volume na vasta biblioteca paterna, a segunda maior da cidade. Em meio a porres, roubos recreativos de carros e jornadas nem sempre lícitas a livros empoeirados, surgem pistas que detonam uma missão de vida inteira. Ao tentar traçar o destino de seu irmão alemão, parece também estar em jogo para o narrador ganhar o respeito do pai, que, apesar dos arroubos intelectuais de Ciccio, tem mais afinidade com Domingos, ou Mimmo, seu outro filho, galanteador contumaz, leitor da Playboy e da Luluzinha, e sempre a par das novas sobre Brigitte Bardot. A despeito das tentativas de mediação da mãe, Assunta - italiana doce e enérgica, justa e com todos compreensiva -, a relação dos irmãos é quase feita só de silêncio, competição e ressentimento.
Num decurso temporal que chega à Berlim dos dias presentes, e que tem no horror da ditadura militar brasileira e nos ecos do Holocausto seus centros de força, O irmão alemão conduz o leitor por caminhos vertiginosos através dessa busca pela verdade e pelos afetos.


24 comentários:

  1. Ola
    De fato, impossível nunca ter ouvido uma música dele, mas eu não sabia sobre esse livro e é claro que fiquei bem curiosa, especialmente depois de ler suas impressões a respeito. Achei bem interessante essa questão de não haver julgamentos e sim apenas contar sua história como realmente é. Acho que só esse detalhe ja torna tudo mais dinâmico e real ne
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Amo Chico e tive oportunidade de ler esse livro tempos atrás. Com certeza foi uma história interessante e a todo momento ficava me perguntando qual parte não era real.
    A parte história é realmente muito forte e interessante na obra.
    Sem contar que a escrita é incrível.
    Adorei ver a resenha dele e fiquei feliz que tenha gostado.
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem?
    Eu adoro livros que retratam períodos criticos como a ditadura e as guerras mundiais. Realmente não sabia que ele escrevia livros, e essa pbra me chamou muito a atenção! Espero poder conferir em breve!

    ResponderExcluir
  4. Oiee Ingrid ^^
    Acho que entro no grupo de pessoas que não sabiam o que o Chico escrevia...haha' ou se sabia, nem lembrava.
    Um amigo leu esse livro uma vez, pelo o que me lembro. Só recordava do título *-* Fiquei bastante curiosa para ler, principalmente porque eu adoro quando os livros abordam acontecimentos históricos, sejam eles ficção ou não. Gostei mesmo, foi para a listinha de desejados ^^
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Apesar de saber que o Chico Buarque também é escritor , eu ainda não tive a oportunidade de ler nada que fosse assinado por ele, e confesso que apesar das lindas músicas que o mesmo possui eu também não o ouço com frequência.
    Achei o livro muito legal, principalmente por essa mescla entre o real e o fantasioso, gosto muito de obras assim, principalmente quando trazem um teor crítico e histórico com essa obra. Dica super anotada! Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  6. Oi
    A forma que essa trama foi escrita me deixou super curiosa, nunca li nenhuma auto biografia mesclada a ficção, pelo menos acredito que não, né? Mas vai saber. E esse é o único ponto que me atrai de fato nessa obra, não acredito que o lerei algum dia, mas gostei de saber se sua existência e através da sua resenha conhecer um pouquinho o conteúdo, que apesar de não ser pra mim, admito ser interessante é sei que deve agradar bastante o público alvo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Não curto muito biografias, mas essa me chamou atenção justamente por mesclar situações fictícias, mas acho que pra quem não conhece muito da vida de Chico Buarque deve ficar imaginando se tal situação é real ou não, haha.
    Você me deixou bastante curiosa pra ler esse livro, obrigada pela dica!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Fiquei super curiosa em ler este livro.comprri e não tive oportunidade ainda de ler esta obra.gosto muito do Chico e já escutei muitas músicas dele
    Bacana saber q mistura coisas ficiticia co má realidade.
    Biografias não são o meu forte rsrs
    Parabéns pela rsenhas e teu site é lindo

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Fiquei super curiosa em ler este livro.comprri e não tive oportunidade ainda de ler esta obra.gosto muito do Chico e já escutei muitas músicas dele
    Bacana saber q mistura coisas ficiticia co má realidade.
    Biografias não são o meu forte rsrs
    Parabéns pela rsenhas e teu site é lindo

    ResponderExcluir
  10. Essa obra em si não a li, mas li alguns dos escritos de Chico Buarque na faculdade. Realmente é incrível as pessoas não saberem que ele é escritor, fala sério! [rsrs] Mas embora não tenha lido esse livro conhecia a primícia dele, sobre o que ele fala e taus. Realmente é uma leitura que compensa ser feita, embora esse eu ainda não tenha lido. Gostei de relembrar dessa obra, belíssima resenha essa a sua! Bexitus!

    ResponderExcluir
  11. Olá!!
    Nossa eu não tinha conhecimento desse livro e nem desses fatos na vida de Chico Buarque. Achei bem interessante a forma na qual ele escreveu o livro pelo que vc relatou, mas ao mesmo tempo, pude perceber que ele não faz muito o meu estilo, então vou deixar a dica passar por enquanto.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Nunca li nenhum livro do Chico Buarque, mas já escutei muitas de suas músicas (que músicas). Gostei muito da história e ver esse lado dele parece ser ótimo, por isso estou anotando a dica para ler mais tarde. Já me recomendaram ele na escola, só que eu sempre fico enrolando com as minhas leituras e parece que a minha lista só cresce.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas fiquei super interessada por causa do escritor ser o Chico Buarque, já que a temática, a Ditadura Militar, não é uma que me atraia. Adorei poder conferir a sua resenha e considerações da obra.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olá, já ouvi algumas canções do autor mas ainda não li nenhum de seus livros. Achei interessante a obra misturar a vida real do autor com um pouco de ficção, fiquei curiosa para ler e descobrir mais sobre esse irmão alemão.

    ResponderExcluir
  15. Que livro interessante! Não sabia sobre alguns pontos da história desse autor, mas parece ótimo, infelizmente o livro não faz meu gênero, ainda assim parece uma ótima pedida para os que curtem esse tipo de premissa! Sua resenha ficou ótima, muito bem clara e escrita!

    ResponderExcluir
  16. Nossa eu faço parte dessa parcela que não sabia que o Chico Buarque era escritor além de cantor rs, bom saber os livros devem ser tão bons quanto as músicas, este título que você apresentou parece bem interessante. Parabéns bjs

    ResponderExcluir
  17. Olá, Ingrid

    Eu não leria o livro pelo gênero e pelo fato de termos (eu e o autor) visões políticas completamente opostas. Creio que não seria uma leitura prazerosa.
    Fico contente que tenha achado a leitura agradável, e espero que esse conteúdo lhe ajude a prestar os exames, já que seu embasamento político/histórico deve ser excelente, por mais que tenha lá seu teor de ficção.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Preciso confessar que não sou muito fa do trabalho do Chico. nas músicas, acho as canções chatinhas e na literatura, li Budapeste, e a leitura foi um martírio para mim. Mas sua resenha me deixou curiosa e acho que quero dar uma segunda chance e ler este trabalho aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá!!

    Nunca li nada do Chico, só conheço músicas e frases perdidas pela internet. Mas achei muito interessante sua resenha e deu curiosidade para ler esse livro, gostei da forma como você apresentou a história e pretendo dar uma chance a ele assim que sobrar um tempo.

    Beijos e Sucesso!!!

    ResponderExcluir
  20. Olá Ingrid,
    Já li muitos elogios para essa obra, mas não tenho muita vontade de ler, acho que é mais por preconceito, sabe? Gostei de conhecer suas impressões e achei legal o que você disse sobre como o autor aborda a questão da Ditadura Militar e quereria entender como ele abordou isso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bom?
    Sou apaixonada pela voz de chico e pela poesia emanada das letras de suas músicas e claro, louca para conhecer seus livros, mas ainda não surgiu essa oportunidade. Adorei saber desse livro que mistura o real com o ficcional e que traz um enredo com passagens pela ditadura e segunda guerra, que são períodos dos quais muito me interessa ler. Amei sua resenha e quero muito conhecer a escrita dinâmica, sagaz e irônica de chico. Amei muito sua resenha!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem?
    Até hoje, só tive oportunidade de ler um livro do Chico, chamado Calabar. Foi uma das obras indicadas quando prestei vestibular e adorei conhecer a escrita dele, uma vez que eu já o admirava por suas músicas.
    Ainda não conhecia esse livro e confesso que a história em si não me atraiu muito. No entanto, leria só por ser do Chico haha.
    Adorei sua resenha e vou anotar a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. OI!
    Sinceramente não conheço muito de Chico Buarque, só por nome mesmo, então não sei se a leitura desse livro me prenderia tanto como prendeu você, ainda que a obra mescle a realidade com a ficção.
    Mas ainda assim acho bem válida a leitura para quem gosta da personalidade que foi Chico e quer saber um pouco mais sobre a vida dele e esses períodos que ele retrata na obra

    ResponderExcluir
  24. Ooi,
    Conheço várias músicas do autor mas nunca tinha ouvido falar sobre seus livros. Não sei se a premissa me prenderia muito, então acho que vou deixar a dica passar, mas adorei conhecer!
    Parabéns pelo blog!

    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir

Gostou da matéria? Então deixe seu comentário abaixo.
Beijo!