sábado, 11 de novembro de 2017

[Dica de Série] Bates Motel


Olá, queridos companheiros de viagem! Todos bem? Espero que estejam ótimos!
Convido a todos a assumirem seus lugares, hoje iremos viajar até a mente perturbada de um dos mais conhecidos psicóticos da ficção.
 

Iniciada no ano de 2013,
Bates Motel veio com uma proposta de mostrar o caminho percorrido por Norman Bates até os acontecimentos do livro Psicose, livro este que deu origem ao personagem e que foi escrito por Robert Bloch, tendo sido publicado originalmente no ano de 1959.

Para criar o personagem Norman Bates, Robert se inspirou livremente no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. Quem lê a história do Ed e assiste a série, se assusta com as semelhanças. Assim como Ed, Norman viveu um relacionamento perturbado com a sua mãe, onde se encaixavam plenamente no Complexo de Édipo. Norma sempre fez questão de afastar amigos e possíveis interesses amorosos de seu filho. 


A série começa contado o que levou Norma e Norman a se mudarem para White Pine Bay e a comprarem o motel que se tornaria o famoso Bates Motel. Acompanhamos a dura jornada desses dois para se adaptarem a essa nova realidade e, claro, à nova vizinhança. Nada é fácil na vida deles e ambos enfrentam inúmeros problemas com o negócio e com as novas relações interpessoais. 

Também é introduzido na trama o personagem Dylan, irmão de Norman e fruto de um outro affair de Norma. (Affair nada, quando descobrimos quem é o pai do Dylan, ficamos boquiabertos). Dylan é a mente pensante e sadia da família, mas é constantemente desprezado por Norma e ignorado por Norman, que é obcecado pela mãe. 


Bates Motel tem um roteiro maravilhoso, com cenas e diálogos de arrepiarem. É fantástico como conseguiram traduzir tão bem as características e os pensamentos de um psicótico. Mas o que realmente merece destaque nesta série são as atuações. Meu Deus, que atuações incríveis, merecedoras de um Oscar!


Eu tiro o meu chapéu para Freddie Highmore, intérprete do Norman. Ele faz uma atuação espetacular, colocando em cena tudo o que aprendeu desde A fantástica fábrica de chocolate e As crônicas de Spiderwick. É brilhante a forma como ele deu vida aos momentos de insanidade do personagem, aos olhares vagos e perturbados, aos devaneios e à frieza nos momentos dos crimes. Sem contar que Freddie teve que atuar duplamente: interpretando o Norman comum e interpretando o Norman achando que é a mãe.


Vera Farmiga (Norma Bates) também dá um show em cena, nos entregando uma das melhores atuações coadjuvantes destes seriados que vemos por aí. Ela é genial em cena e realmente nos convence que sua obsessiva preocupação com o filho tem fundamentos cabíveis. Max Thieriot (Dylan Masset) não deixa a desejar como ator e muitas vezes nos deixa com o coração na mão com as cenas protagonizadas. E é claro que não posso deixar de citar atores como: Olivia Cooke, Nestor Carbonell, Kenny Johnson, que arrasaram em seus papeis e tornaram tudo ainda mais assustadoramente real. 


E se tratando de Norman Bates, não posso deixar de falar da clássica cena do chuveiro, não é? Temos uma releitura fantástica e assustadora desta cena, que me deixou boquiaberta.

Com um final doloroso e emocionante, Bates Motel se despede gloriosamente e com a certeza de dever cumprido com excelência. Eu juro que tentei encontrar algo de ruim nesta série, mas não consegui. É tudo muito bem roteirizado, encenado e filmado. Confesso que já estou morrendo de saudades do seriado e não descarto a possibilidade de revê-la um dia, porque vale a pena ver de novo, com certeza. 


É isso aí, galera! Se posso deixar um conselho, deixo este: ASSISTAM BATES MOTEL. Tenho certeza que vão amar tanto quanto eu, pois a série é realmente incrível. Vou ficando por aqui, um beijo no coração de vocês e até a próxima!!! <3

Mais informações

Ano de Lançamento: 2013
Temporadas: 5 (Finalizada)
Episódios: Aprox. 45 minutos cada
Exibição: A&E

*As quatro primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix.




Um comentário:

  1. Oi Cris! <3

    Cara, entre todos os motivos, acho que o principal para se assistir essa série são os momentos em que o Dylan (Max Thieriot) aparece, hahaha. Eu acho muito fofo quando ele ganha uma proximidade com o Norman, e meio que considera ficar por perto pra cuidar dele (eu estou na segunda temporada, ainda).

    Adorei a matéria! Fiquei com vontade de terminar logo a série, principalmente para assistir o remake da clássica cena do chuveiro.

    Beijo grande,

    Thiago | O Leitor Preguiçoso
    www.leitorpreguicoso.com.br

    ResponderExcluir

Gostou da matéria? Então deixe seu comentário abaixo.
Beijo!